• 1 Março 2019

    RESTAURANT WEEK, OS MELHORES AOS MELHORES PREÇOS

    Por isso participamos com duas casas de fado, Café Luso e Adega Machado. Para muitos, esta é considerada uma oportunidade imperdível de nos visitar: menu por € 20,00. É um evento nacional organizado pela plataforma de reservas TheFork e com ampla cobertura. “Além dos Michelin referidos, integrarão esta semana de onze dias em Lisboa o Atlântico (pelos chefs Justa […]

    Por isso participamos com duas casas de fado, Café Luso e Adega Machado.

    Para muitos, esta é considerada uma oportunidade imperdível de nos visitar: menu por € 20,00.

    É um evento nacional organizado pela plataforma de reservas TheFork e com ampla cobertura.

    “Além dos Michelin referidos, integrarão esta semana de onze dias em Lisboa o Atlântico (pelos chefs Justa Nobre e Miguel Laffan), Akla (Eddy Melo), Adlib (Daniel Schlaipfer) e Bica do Sapato (Henrique Mouro), além de casas como o Pap’Açorda, Bastardo, Café Luso ou Insólito; perto, em Sintra, o Mercatto do Penha Longa ou o restaurante do histórico hotel Lawrence’s.”

    Fugas, jornal PÚBLICO, 27.02.19

  • 1 Março 2019

    O CONCERTO TRIBUTO DO MUSEU DO FADO A CELESTE RODRIGUES

    No âmbito da programação Há Fado no Cais, a 21 de Março, no Centro Cultural de Belém (CCB), realiza-se o concerto de tributo à fadista Celeste Rodrigues, desaparecida em 2018. Nele participam artistas que também faziam parte do círculo de afectos de Celeste Rodrigues: Ana Sofia Varela, Camané, Fábia Rebordão, Mísia, Pedro Moutinho e outros […]

    No âmbito da programação Há Fado no Cais, a 21 de Março, no Centro Cultural de Belém (CCB), realiza-se o concerto de tributo à fadista Celeste Rodrigues, desaparecida em 2018.

    Nele participam artistas que também faziam parte do círculo de afectos de Celeste Rodrigues: Ana Sofia Varela, Camané, Fábia Rebordão, Mísia, Pedro Moutinho e outros mais.

    Fado Celeste, assim se chama o concerto que será, pela certa, romaria.

     

  • 1 Março 2019

    O AMBIENTE PEDE QUE AS SARDINHAS SEJAM SUAS AMIGAS?!

    Abertas as candidaturas à nona edição do Concurso Sardinhas Festas de Lisboa, promovido pela EGEAC. A competição, que decorre até 27 de Março de 2019, tem este ano o lema 100% Sardinha, em “tons verdes” e “amiga do ambiente”, e sugere os temas “Abaixo o carbono, viva o Ómega 3”, “Baixo Consumo, Brilho Natural” e “Pegada Zero, […]

    Abertas as candidaturas à nona edição do Concurso Sardinhas Festas de Lisboa, promovido pela EGEAC.

    A competição, que decorre até 27 de Março de 2019, tem este ano o lema 100% Sardinha, em “tons verdes” e “amiga do ambiente”, e sugere os temas “Abaixo o carbono, viva o Ómega 3”, “Baixo Consumo, Brilho Natural” e “Pegada Zero, Flutuação Máxima”.

     

     

  • 1 Março 2019

    XVI CONGRESSO IBÉRICO “A BICICLETA E A CIDADE: PARA ALÉM DA MOBILIDADE”

    Agora que os portugueses finalmente se renderam aos prazeres de usar a bicicleta como meio de locomoção, e também à profusão de trotinetas, realiza-se nos dias 2 a 4 de Maio, na vila de Cascais, o XVI Congresso Ibérico “A Bicicleta e a Cidade: Para além da mobilidade”. Este evento decorrerá na Casa de Histórias […]

    Agora que os portugueses finalmente se renderam aos prazeres de usar a bicicleta como meio de locomoção, e também à profusão de trotinetas, realiza-se nos dias 2 a 4 de Maio, na vila de Cascais, o XVI Congresso Ibérico “A Bicicleta e a Cidade: Para além da mobilidade”.

    Este evento decorrerá na Casa de Histórias de Paula Rego (Cascais), estando atualmente aberto o período de submissão de propostas de apresentação até 31 de Março para cada um dos temas: Melhores Comunidades, Melhores Acessibilidades, Melhor Ambiente e Saúde e Melhor Economia e Turismo.

     

     

  • 22 Fevereiro 2019

    EM PRIMEIRO LUGAR COMEMOS COM O CÉREBRO

    Curiosa a conclusão do estudo científico realizado por Charles Spence, professor de Psicologia Experimental na Universidade de Oxford. A informação vem, em primeiro lugar, daquilo que vemos. Geralmente, ainda antes de lhe tocarmos, podemos cheirá-lo, depois vem o som, e por fim o sabor e o cheiro retronasal, que acontece quando engolimos. A nossa equipa […]

    Curiosa a conclusão do estudo científico realizado por Charles Spence, professor de Psicologia Experimental na Universidade de Oxford.

    A informação vem, em primeiro lugar, daquilo que vemos. Geralmente, ainda antes de lhe tocarmos, podemos cheirá-lo, depois vem o som, e por fim o sabor e o cheiro retronasal, que acontece quando engolimos.

    A nossa equipa tem essa noção quando pensa em novas propostas para a Carta de restaurante: relativa à aparência da comida, a apresentação ou disposição cuidada e atraente no prato, as cores e os aromas.